28 janeiro, 2010

AJUDE AS CRIANÇAS


http://www.portasabertas.org.br/

BEM AVENTURADOS OS QUE CHORAM!!!!


Mt 5:4 - "Bem aventurados os que choram pois serão consolados."



Já percorri os "12 passos" algumas vezes e em todo momento me vejo tendo que revisitá-los para manter minha saúde emocional e até espiritual. Um desses 12 passos é o Passo 2 que diz: "viemos a acreditar que existe um Poder Superior que poderia me trazer a sanidade." O primeiro passo diz que temos que "admitir que somos impotentes diante de nossa compulsividade e que perdemos nosso controle por causa disso", mas, com todo o respeito ao primeiro passo, que é o mais importante (reconhecer), admitir da boca para fora é fácil. O difícil é expor essas nossas impotências e deixá-las expostas para que, efetivamente, possam ser curadas pelo poder de Deus. Sabe porque? Porque vivemos num mundo como se nós fôssemos nossos próprios 'deuses' nos achamos auto-suficientes ao ponto de olhar para as pessoas de cima para baixo, esquecendo-se de quem está acima de nós. Chegamos ao ponto de pensar que não precisamos de nada nem de ninguém. Até que,... perdemos o controle da situação... seja para um dependente alcoólico ou de drogas que tomou o primeiro gole e não consegue mais parar, seja para o viciado em jogo, em compras ou até aquele que chega a pensar que é capaz de controlar sua vida emocional. Pronto! Então vem a queda! "Mas e agora? O que faço? Perdi o controle, já fiz de tudo e não consigo terminar nada sozinho. Esse é o ponto que eu diria que estamos prontos para dar o passo 2.


Se reconhecermos que somos impotentes para lidar sozinhos com as nossas compulsividades, angústias e mazelas que nos afligem diariamente, é sinal que precisamos de ajuda. Via de regra, somos auto-suficientes para tentar sozinhos e se não conseguimos gerenciar nossa própria vida, alguns dizem que temos que entregá-la a Deus, mas como podemos entregar nossa vida a Alguém que não consigo ver e nem tocar, se nem nas pessoas que posso pegar, falar, ver e tocar confiamos? Isso não faz sentido. Por isso que o Passo 2 não fala de Deus e sim de um Poder Superior, isso significa que, em princípio, podemos passar a confiar em pessoas que estão e são um pouco mais sadias (nas áreas emocional e espiritual) que nós, para nos dar um norte, uma esperança de melhora, novos horizontes que sozinhos seria impossível ver e avaliar. Mas para se ter essa esperança e tentar uma mudança temos que abrir nossa vida e mostrar nossos defeitos e isso não queremos, temos medo, pois não sabemos o que vamos encontrar e de certa forma, tentar algo por esse lado, seria permitir a invasão de pessoas e ficar ouvindo sugestões que não queremos, porque são sugestões nos farão ter de sair da zona de conforto e do nosso trono "de rei da nossa vida" e é exatamente isso que não queremos.


Pois então, todos esses questionamentos foram os que tive quando conheci os 12 Passos e não foi fácil e ainda hoje, também não é. Todos os dias tenho de descer do meu lugar preferido, "meu trono", se realmente quero me tornar um ser humano melhor. E sabe quando isso mais acontece? Quando eu partilho minhas dores e angústias em uma sala de iguais, onde exponho meus medos, minhas raivas, onde mostro o monstro que realmente sou. Mas é ali que eu me permito ser lapidado por Deus. É ali que eu escuto o que as pessoas tem a dizer sobre mim e sobre elas mesmas compartilhando também suas dores. É ali que eu vejo que meu problema é pequeno demais perto do problema do outro. É ali que vejo Cristo se personificando nas pessoas como Poder Superior. É ali que meu relacionamento com Deus vai além de orações decoradas e se tornam ações de verdade. É ali que Deus forja meu caráter. É ali que conheci Deus em Cristo, que se fez carne e viveu (e VIVE) entre nós. É ali que minhas esperanças se renovam a cada dia. E tudo isso é só parte das possíveis mudanças que Deus fez e faz na minha vida, me dando força para mudar e claro, gerando uma expectativa no resultado dessa mudança que se torna esperança de uma vida melhor.


Tudo isso porque um dia decidi reconhecer minhas limitações de não conseguir ser meu próprio 'deus' e de acreditar que alguém além de mim, a princípio pessoas que se reuniam em uma sala falando sobre seus/meus problemas que se transformaram em uma voz maior, personalizando Cristo. Depois disso, entregar minha vida a Cristo depois disso (que é o Passo 3) foi apenas uma consequência da caminhada sem volta para Seus braços. Hoje, além de querer dividir essa experiência, usamos (a Missão SAL como um todo, em uma reunião que ocorre todas as quartas-feiras ás 20h) essa oportunidade como uma das estratégias para ficar junto das pessoas que sairam da rua, que moram na Missão SAL e que querem se desprender dos seus vícios de rua como o vício da liberdade, droga, bebida, roubo, prostituição, questão "H" etc. Você está convidado!


"A angústia se torna um desespero sem a existência de uma esperança. Ao termos uma esperança podemos tomar uma decisão. Com essa tomada a decisão, a angústia se transforma em aceitação temporária e consequentemente, traz paz e perdão ao coração, o que na prática, nos permite deitar a cabeça no traveseiro e dormir." (autor desconhecido) Amém.


Nelson Jr.






20 janeiro, 2010

DEVEMOS ORAR SEMPRE




Não existe oração errada. Aliás, a oração errada é aquela que não é feita. A
Bíblia Sagrada ensina que se deve orar a respeito de tudo. Orar por qualquer
motivo, qualquer hora, qualquer lugar, sempre que o coração não estiver em
paz. Tão logo o coração experimente apreensão, preocupação, medo, angústia, enfim,
seja perturbado por alguma coisa, a ação imediata de quem confia em Deus é a oração.
O apóstolo Paulo diz que não precisamos andar ansiosos por coisa alguma, mas
em tudo, pela oração e súplicas, com ação de graças, devemos apresentar
nossos pedidos a Deus, tendo nas mãos a promessa de que a paz de Deus que
excede todo o entendimento, guardará nossos sentimentos e pensamentos em
Cristo Jesus (Filipenses 4.6,7). A expressão "coisa alguma" inclui desde uma
vaga no estacionamento do shopping center quanto o fechamento de um negócio,
o desejo de que não chova no dia da festa quanto a enfermidade de uma pessoa querida.
Esta experiência de oração é chamada de oração simples: orar sem censura
filosófica ou teológica, orar sem se perguntar "é legítimo pedir isso a Deus?" ou "será que
 Deus se envolve nesse tipo de coisa?". Simplesmente orar.
A garantia que temos quando oramos assim é a paz de Deus em nossos corações
e mentes. A Bíblia não garante que Deus atenderá nossos pedidos exatamente
como foram feitos: pode ser que a vaga no estacionamento não seja encontrada
e que chova no dia da festa. A oração não se presta a fazer Deus trabalhar
para nós, atendendo nossos caprichos e provendo o nosso conforto. Já que a
causa da oração simples é a ansiedade, a resposta de Deus é a paz.
O resultado da oração não é necessariamente a mudança da realidade a respeito
da qual se ora, mas a mudança da pessoa que ora. A mudança da situação a
respeito da qual se ora é uma possibilidade, a mudança do coração e da mente
da pessoa que ora é uma realidade. Deus não prometeu dizer sim a todos os
nossos pedidos, mas nos garantiu dar paz e nos conduzir à serenidade.
Não prometeu nos livrar do vale da sombra da morte, mas nos garantiu que estaria
lá conosco e nos conduziria em segurança através dele.
O maior fruto da oração não o atendimento do pedido ou da súplica, mas a
maturidade crescente da pessoa que ora. Na verdade, a estatura espiritual de
uma pessoa pode ser medida pelo conteúdo de suas orações. Assim como sabemos
se nossos filhos estão crescendo observando o que nos pedem e o que esperam
de nós, podemos avaliar nosso próprio crescimento espiritual através de
nossos pedidos e súplicas a Deus. As orações revelam o que realmente ocupa
nossos corações, o que realmente é objeto dos nossos desejos, o que nos
amedronta, nos desestabiliza e nos rouba a paz.
O apóstolo Paulo diz que quando era menino, falava como menino, pensava como
menino e raciocinava como menino. Mas quando se tornou homem, deixou para
trás as coisas de menino (1Coríntios 13.11). Não existe oração certa e
errada. Mas existe oração de menino e oração de homem. Oração de menina e
oração de mulher. A diferença está no coração: coração de menino e de
menina, ora como menino e menina. A nossa certeza é que Deus também gosta de crianças.

© 2008 Ed René Kivitz
Crédito / Origem: E-mail de: Daniele Santos Guimarães / SP - Brasil
Dia: 19/01/2010

19 janeiro, 2010

06 janeiro, 2010

A MENSAGEM DE JOÃO BATISTA




Os líderes judeus enviaram de Jerusalém alguns sacerdotes e levitas para perguntarem a João quem ele era. João afirmou claramente: - Eu não sou o Messias. Eles tornaram a perguntar: - Então, quem é você? Você é Elias? - Não, eu não sou! - respondeu João. - Você é o Profeta que estamos esperando? - Não! - respondeu ele. Aí eles disseram a João: - Diga quem é você para podermos levar uma resposta aos que nos enviaram. O que é que você diz a respeito de você mesmo? João respondeu, citando o profeta Isaías: - "Eu sou aquele que grita assim no deserto: preparem o caminho para o Senhor passar." Os que foram enviados eram do grupo dos fariseus; eles perguntaram a João: - Se você não é o Messias, nem Elias, nem o Profeta que estamos esperando, por que é que você batiza? João respondeu: - Eu batizo com água, mas no meio de vocês está alguém que vocês não conhecem. Ele vem depois de mim, mas eu não mereço a honra de desamarrar as correias das sandálias dele. Isso aconteceu no povoado de Betânia, no lado leste do rio Jordão, onde João estava batizando.
JOÃO 1.19-28